domingo, 18 de fevereiro de 2018

Two Oceans Aquariium - Capetown


O Two Ocean Aquarium de Capetown é bastante interessante porque apresenta a fauna tanto do Oceano Atlântico como do Oceano Índico. O espaço é extremamente organizado e traz muitas informações, além de promover experiências sensoriais bem legais. Você pode curtir a fanpage no Facebook clicando aqui.


Logo na entrada, o visitante já se depara com tanques menores que representam a fauna existente em corais do Oceano Atlântico. Logo adiante, é possível ficar rodeado por muitos peixes palhaço, o famoso Nemo, em outro tanque.






Trombeta

Cowfish (bem venenoso, apesar de ser bem pequeno)

Lionfish

Medusas
Na parte mais central, é possível tocar em alguns animais, com a orientação e o auxílio de monitores. Pode-se perceber os espinhos do Ouriço-do-Mar, os tentáculos das anêmonas ou a textura das estrelas-do-mar. Não quero entrar aqui numa discussão se isso é legal ou não, se interfere na vida animal ou não. Só digo que só se ama e protege aquilo que se conhece de perto. Eu acho a experiência válida e esta é só a minha opinião. Ponto. 





No tanque principal, uma cena inusitada. O mergulhador estava retirando um equipamento de foto/filmagem (é permitido mergulhar ali se você for credenciado PADI), rodeado de peixes. Até que chegou a tartaruga marinha gigante e o mordeu. Não foi fácil para ele se livrar do bicho, que estava bastante agressivo. Para quem estava do lado de fora, foi engraçado...



Seguindo o roteiro da visita, vi esse imenso caranguejo. Precisei me esquadrinhar com a câmera para que ele coubesse na foto. No fim ele até fez pose! 


Do andar de cima, é possível se ter essa visão do Aquário e, inclusive, do setor das experiências sensoriais. No segundo piso, além de ver o tanque principal, há o espaço destinado aos pinguins. E são muitos. 





Eles estavam sendo alimentados pelos técnicos e faziam fila para garantir o seu peixe.

Organize sua visita no sítio do Aquário. Lá você encontrará todas as informações de que necessita. Se você, assim como eu, gosta de atrações deste tipo, reserve umas 3h para ver tudo com calma. Garanto que vale a pena! 

* Este post não é patrocinado e nem apoiado. Ele reflete a minha experiência no local.

Eu te encontro no próximo post!






domingo, 11 de fevereiro de 2018

Table Mountain - Capetown


Como contei aqui, fui conhecer a Table Mountain (ou Montanha da Mesa ou Tafelberg, em africâner) no primeiro dia, pois ela estava com o topo aberto, sem a tradicional 'toalha de mesa' que a encobre normalmente. Então, a primeira dica é: olhe para a montanha. Se ela estiver sem o tradicional nevoeiro, não pense duas vezes, vá direto para lá, porque normalmente ela está com o cume fechado por uma névoa, às vezes tão densa, que impede que você tenha uma vista maravilhosa da cidade.

Você pode ir a pé (sim, tem trilhas que te levam até lá), pode ir de carro (tem estacionamento gratuito na rodovia), de transporte público, de táxi, de uber e até de Hop On Hop Off, meu caso. Na parte baixa da montanha tem uma parada desse transporte turístico, devidamente identificado. Você desce aqui, faz seu passeio e depois retorna a este ponto para tomar o próximo ônibus.



Nesse dia, a fila para comprar o ingresso, que custava R240 não estava grande. E não esperei mais do que 30 minutos para embarcar no teleférico. No sítio oficial você pode acompanhar em tempo real essas informações e até comprar o tíquete on line. Confere aqui.



O bondinho que leva até o topo é grande e faz uma rotação completa. Então, não se preocupe em pegar o melhor lugar, pois todos terão as mesmas oportunidades. Em dias de vento forte, a viagem pode ser cancelada por questões de segurança, mas você pode optar pela trilha para subir/descer. Se estiver no topo e ouvir uma sirene, busque a saída, pois significa que a estação fechará imediatamente para a segurança de todos.


A vista que se tem a partir do topo do platô é de tirar o fôlego. A baía se chama Table Bay, em homenagem à Table Mountain, assim denominada em razão de seu platô de 3km de extensão. Quando lá cheguei, dia estava claro, o céu azul e a vista era essa. Em seguida, optei pela trilha autoguiada e percebi a viração se formar. 



A viração (como chamamos esse fenômeno aqui no RS, nos Campos de Cima da Serra - Cânions) ocorre devido ao choque de correntes de ar quente e frio, formando uma densa neblina, que é empurrada para o alto pelo vento que sopra do mar. Na foto abaixo, dá para se ter essa noção.



A Table Mountain foi eleita como uma das Novas 7 Maravilhas Naturais do Mundo. No topo, há essa placa.


No platô, há um café, um bom restaurante (onde almocei - pratos prontos e self service), banheiros limpos e uma lojinha muito legal. Também é importante destacar que é acessível, pois boa parte da trilha é boa para quem depende de cadeira de rodas para locomoção.







Quando a viração ocorre, a mudança da temperatura é brusca, também. Mesmo no verão, leve um agasalho. Nesse dia, enquanto observava a fauna e a flora, que são endêmicas, diferentes e lindas, o tempo fechou rapidamente e uma garoa intensa começou a cair. Precisei guardar a câmera e para voltar para a estação do bondinho foi uma aventura, pois não se enxergava nada além do próximo passo. Com isso, andar sobre o platô pode ser perigoso, caso você esteja caminhando sobre as pedras (que é permitido, também).




Com o Grêmio onde o Grêmio estiver
 


Na foto abaixo, é possível perceber a trilha que é preparada para receber os turistas. A partir dela, bem no lado esquerdo, existem outras trilhas em que se caminha sobre as pedras e não são autoguiadas. Foi nessa parte que fiz a foto em que estou com a camisa do Grêmio e que, logo depois, fechou em razão da neblina. Foi tenso caminhar sobre as pedras, sem enxergar quase nada, até encontrar a trilha autoguiada, momento de alívio total! 



Existe um monumento em homenagem aos que morreram fazendo escalada.


De volta à estação do bondinho, praticamente não se enxergava nada. Estava frio e eu estava totalmente molhada pela garoa que insistia em cair. Tão logo começamos a descer os 700m que separam uma estação da outra, descortinou-se essa vista à minha frente. E a 'toalha de mesa' ficou lá, por diversos dias...



Com certeza, esta é a atração número 1 em Capetown. Não deixe de ir! Vale muito subir até lá. Mas vá com tempo para aproveitar bem.

Até mais!




domingo, 4 de fevereiro de 2018

Hop on hop off em Capetown

Em frente ao escritório da empresa, na Long Street, 81.
 No primeiro dia em Capetown, após o teste de nivelamento na escola, fiz o tradicional passeio hop on hop off, com a City Seighseeing. Escolhi o tour mais simples, de um dia só, o da linha vermelha, que dá uma boa visão da cidade e permite o acesso à Table Mountain. Paguei R190, cerca de US$ 15,00.

O trajeto passou por Jewelafrica (Museu do Diamante, cuja visita é grátis), Cableway (Table Mountain), Camps Bay, Sea Point, Green Point, V&A Waterfront, retornando ao centro da cidade. Você pode descer em qualquer desses pontos e pegar o próximo ônibus. Eles passam a cada 15 minutos e possuem audioguia em 15 diferentes idiomas. A volta completa, dependendo do trânsito, claro, demora cerca de 1h30min, 2h. 


Como o dia estava aberto, o céu azul e a Table Mountain descoberta, desci neste ponto para explorar a onipresente montanha da mesa, que adorna a cidade. Saiba desde já que ela pode 'fechar' a qualquer momento, com a 'viração', como vou contar no próximo post.




A vista lá de cima é linda. E olha que ainda nem subimos o cableway... É bem fácil identificar a parada do ônibus. Em todas elas há um totem igual ao da foto informando o ponto.



Feita a visita, retornei ao ônibus e seguimos o passeio. Passamos por Camps Bay, de onde se pode avistar Os 12 Apóstolos, como são chamadas as colunas da Table Mountain. 




Em Sea Point, vi essas estranhas árvores. Segundo o áudio, o vento é tão forte que elas inclinaram. E o mais curioso é que do outro lado da avenida, elas estão para o lado contrário. A explicação é a de que o vento bate nos prédios e retorna para o mar, num constante movimento circular, fazendo com que as árvores fiquem  tortas para o lado do oceano.


Outra grande atração da cidade, sem sombra de dúvidas, é o V&A Waterfront, um shopping muito legal. Voltei lá muitas vezes, pois são muitas as atrações. A começar pela roda-gigante, que permite uma vista linda da Table Mountain.



Logo ao lado, ainda no mesmo complexo, fica o Two Oceans Aquarium, que merece a visita (terá post próprio). O tour encerrou com outra vista panorâmica do complexo Waterfront, retornando ao centro da cidade.



Comprei o tíquete na hora do passeio, no escritório de Long Street. Mas, se você quiser, pode comprar on line, no saite oficial. É preciso dizer que existem outros tipos de tour e outras linhas (fiz a vermelha, mas tem a amarela e a azul, também) e que em algumas paradas é possível conjugá-las, desde que você tenha comprado o combo adequado.

* Este post não é patrocinado e nem apoiado. Ele reflete a minha experiência nesta atração.